Gaeco mira esquema de lavagem de dinheiro e cumpre mandados em Naviraí

Investigados mesclavam verba lícita e ilícita com atividade comercial na cidade

Operação Mescla, do Gaeco, cumpriu três mandados de busca e apreensão e um de suspensão de atividade comercial na manhã de ontem (10), em Naviraí. A ação desencadeada nesta semana teve crimes antecedentes à época da Operação Athenas, que em 2014 levou para a cadeia cinco vereadores e três assessores da Câmara da cidade.

De acordo com informações do Ministério Público Estadual, a investigação mira crime de lavagem de dinheiro na atividade comercial e na aquisição de bens em nome de laranjas.  O esquema teria começado entre os anos de 2013 e 2014, época em que o Gaeco descobriu desvios da Câmara Municipal feitos com a influência de servidores públicos.

Ao todo, dois promotores de Justiça e 15 policiais militares do Gaeco participaram da operação. O nome mescla tem relação com a tipologia da lavagem de dinheiro investigada, em que acontece a mistura de verbas lícitas e ilícitas associadas à atividade comercial.

Operação Atenas – Na manhã de 8 de outubro de 2014, cinco vereadores e as outras cinco pessoas envolvidas foram presas após 11 meses de investigação da Polícia Federal e Ministério Público Estadual. O esquema de corrupção foi montado para extorquir empresários em troca da liberação de alvará e fraudar licitações.

Além dos presos, 29 pessoas foram levadas às delegacias da PF em Naviraí e Campo Grande para depoimento e 38 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.