Ataque em creche: o que se sabe sobre o suspeito de matar duas professoras e três crianças em SC

Um jovem quieto, problemático e com poucos amigos que passava a maior parte do dia trancado no quarto jogando no computador. Foi assim que a polícia definiu o homem de 18 anos suspeito de matar duas professoras e três crianças com menos de 2 anos de idade na terça-feira (04/05), numa creche na cidade de Saudades, oeste de Santa Catarina.

O delegado Jerônimo Ferreira, responsável pelo caso, disse que o criminoso é um “rapaz problemático”, e que era alvo de piadas na escola.

“Pessoas próximas dizem que ele sofria bullying. Também relataram que recentemente ele vinha maltratando animais e era muito introspectivo. Um jovem que se tranca no quarto e passa horas no computador, que gosta de jogos online”, disse o delegado.

O município de Saudades decretou luto de três dias e nenhuma escola da cidade terá aulas nesta semana após o crime. Além dos cinco mortos, uma criança de 1 ano e 8 meses passou por cirurgia e permanece internada em estado grave numa UTI.

O suspeito também foi operado e não corre risco de morrer, segundo as equipes médicas da prefeitura que atenderam o caso.

Segundo familiares ouvidos pela polícia, o suspeito parou de ir à escola por conta do bullying que sofria dos colegas de sala. A polícia disse que ele é de uma família humilde, que não soube lidar com esse problema.

Agora, o delegado afirmou que a intenção dele é entrevistar o suspeito para saber o que o levou a cometer os cinco assassinatos.

“Eu ainda não consegui interrogá-lo, por conta das cirurgias. Ele tem o direito de permanecer em silêncio, mas eu quero saber o que ele vai contar para a gente poder juntar com peças da investigação para tentar entender a motivação desse crime”, afirmou Jerônimo Ferreira à imprensa.

De acordo com as investigações, o suspeito trabalhava numa empresa da cidade e guardava dinheiro em casa. Os policiais encontraram R$ 11 mil em espécie no quarto dele.

Em depoimento à polícia, os pais e a irmã do suspeito disseram que ele não se abria com ninguém, não costumava sair, não tinha celular e também não namorava. Os familiares disseram ainda que ele se afastou dos poucos amigos que tinha nos últimos dias.

O delegado disse que a família do suspeito sabia que ele “era problemático”, mas nunca pensaram que ele pudesse cometer um crime.

Ainda assim, a polícia investiga se o jovem teve a ajuda de alguém para planejar os assassinatos, mas afirma que, inicialmente, a possibilidade de outra pessoa ter participado é pequena.

Equipes de psicólogos foram disponibilizadas para auxiliar todas as famílias envolvidas no episódio.

O caso

O homem de 18 anos invadiu uma creche e matou cinco pessoas.

Fachada da creche onde o crime ocorreu em SC

CRÉDITO,POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA

Legenda da foto,Suspeito de matar cinco em creche passou por cirurgia e não corre risco de morrer

As professoras Kelly Adriane Aniecevski, de 30 anos, e Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos, e três crianças morreram.

O velório das vítimas ocorreu nesta quarta no Parque de Exposições Theobaldo Hermes. O enterro foi realizado no fim da manhã.

Mirla chegou a ser encaminhada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo a polícia, cada vítima foi atingida por ao menos cinco facadas.

Entre as crianças mortas, estavam duas meninas. Uma de 1 ano e 7 meses e outra de 1 ano e 8 meses. A outra vítima é um menino de 1 ano e 9 meses.

Ainda segundo a polícia, o suspeito também deu facadas contra o próprio pescoço, abdome e tórax. Ele foi socorrido e encaminhado, em estado gravíssimo, para um hospital da região.

As investigações policiais apontam que o criminoso chegou à Escola Municipal Infantil Pró-Infância Aquarela, de bicicleta, por volta das 10h30. Ele atingiu duas professoras e alguns alunos usando a arma branca.

Segundo testemunhas, o homem entrou na sala de aula e começou a dar golpes nos estudantes e professoras. As vítimas gritaram por socorro, quando pessoas que estavam passando na rua entraram na escola e detiveram o criminoso.

Em entrevista à TV Globo, uma professora que não estava na escola no momento do ataque, mas ajudou a socorrer as vítimas, afirmou que outros professores trancaram as salas para evitar que o criminoso encontrasse outras crianças.

Ainda segundo o depoimento à polícia de pessoas que presenciaram a agressão, o homem disse que não tinha estudado na creche. A escola atende crianças de 6 meses a 2 anos de idade.

Segundo a polícia, o suspeito, internado no hospital, não tem antecedentes criminais e já tinha sido imobilizado quando os agentes chegaram para atender a ocorrência.

A cidade de Saudades tem pouco mais de 9 mil habitantes, segundo o último Censo, de 2010. Ela fica a cerca de 60 km de Chapecó, no oeste de Santa Catarina, e é conhecida por ser muito pacata.

Fonte: BBCNEWS

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.