Bolsonaro manda recado para calar governadores: “Vocês que fecham comércio e destroem empregos, criem um auxílio de R$ 1.000” (veja o vídeo)

Por: Portal da Cidade Online

 

Durante live desta quinta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro rebateu as críticas referentes ao valor da segunda rodada de auxílio emergencial para os mais carentes. Durante a apresentação, Bolsonaro sugeriu que governadores de todo o país criem um benefício de R$ 1.000 para a população, ao invés de ficarem “criticando o baixo valor pago pelo Governo Federal”.

O presidente explicou que o auxílio emergencial é um endividamento para a União e que Estados, principalmente os da Região Nordeste, têm caixa para inflar o auxílio. Ele destacou que o valor gasto pelo Governo Federal com o benefício pode ser comparado a dez anos de Bolsa Família.

“Esse auxílio emergencial, a gente apela aos excelentíssimos governadores que poderiam – vocês que fecham comércio que destroem milhões de empregos –, vocês podiam fazer o auxílio emergencial. Coloca R$ 1.000 até o fim do ano, já que me criticam, né? Bota R$ 1.000”, desafiou.

“Em especial, os Estados do Nordeste, que ‘fizeram caixa’ com o nosso recurso do ano passado e têm dinheiro para dar um auxílio emergencial, complementar até R$ 1.000, até o fim do ano em vez de ficar criticando o Governo Federal e destruindo empregos”, completou.

E criticou o uso político da ajuda financeira. Ao lembrar que haverá eleições no ano que vem, o presidente, mais uma vez, defendeu o voto impresso e censurou aqueles que estão utilizando a pandemia para se promover politicamente.

“Porque uma população na miséria é uma população que vai começar a depender cada vez mais do Estado. E a tendência é dar voto para quem dá muleta para ele. Gostaria que não tivesse isso tudo. Estamos fazendo isso, não por voto, mas para atender a população que perdeu tudo”, desabafou.

Confira o vídeo:

 

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.