Naviraí: Comerciantes fazem passeata em protesto contra o fechamento do comércio

Por: TANAMÍDIANAVIRAÍ

Na manhã deste sábado (27), um grupo formado por vários comerciantes e empresários de Naviraí realizaram uma carreata “Contra o Fechamento do Comércio e Conscientização ao uso da Biossegurança”.

Decreto do Governo do Estado 15.638, com as regras mais rígidas do Governo de Mato Grosso do Sul para reduzir a mobilidade social e frear o avanço da Covid-19, começou a valer na sexta-feira, 36 de março e sege até o dia quatro de abril.

Nesse período atividades e funcionamento de serviços e empreendimentos em todo o Estado estão proibidos, salvo algumas exceções. Durante a vigência do Decreto, apenas 45 ofícios estão permitidos. Ainda durante a vigência do decreto a circulação de pessoas e veículos só será permitida das 5h até as 20 horas de segunda a sexta-feira, no sábado e domingo o horário é das 5h às 16h.

Revoltados sem poder trabalhar, comerciantes e empresários apoiados pela ACEN (Associação Comercial e Empresarial), Sindivarejo, Secom, Rotary Club, Rotary Club Integração, Lions Clube e BPW organizaram uma carreta que foi realizada de forma pacífica, observando-se todas as normas de saúde e biossegurança.

A carreata em protesto ao fechamento do comercio contou com centenas de veículos, que saíram de frente ao Estádio Virotão e percorreram as principais avenidas do centro da cidade.

Com o fechamento do comércio muitos empresários e comerciantes dizem não saber como irão honrar com suas obrigações. “Como iremos pagar, funcionários, luz, água, boletos e ainda os impostos, ficando de portas fechadas. Temos consciência do que essa doença está causando muitas mortes não somente em Naviraí e sim no mundo inteiro, mas com os nossos comércios fechados, corre o risco de pessoas morrem de fome. Estamos trabalhando obedecendo todas as medidas de segurança contra o Coronavirus, será que o viris só circula nesses comércios que tiveram que fechar as portas?”

Na tarde de sexta-feira (26), a Prefeita de Naviraí Rhaiza Matos editou o Decreto nº 62-2021 e enrijeceu ainda mais ao instituir a “Lei Seca” com vigor até o termino do decreto estadual. Normativo proíbe venda de bebida alcoólica com multa de R$ 5 mil para os comerciantes e de R$ 1 mil para cidadãos que desobedecerem ao decreto municipal.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa da prefeitura diz que a decisão da prefeita em enrijecer o decreto com a Lei Seca, foi após uma reunião de quase 5 horas na última quinta-feira (25), com todos os treze vereadores do Legislativo Municipal, representantes da Segurança Pública, Ministério Público Estadual, Associação Comercial e Empresarial, setor da Saúde e gerentes municipais, onde Rhaiza Matos decidiu encaminhar o atendimento de recomendações da SES. (Secretaria Estadual de Saúde), através do Ofício nº 1472, assinado na última quarta-feira (24-03) pelo secretário Geraldo Resende Pereira

 

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.