ISOLAMENTO: Covid-19: com aumento de mortes e casos, Umuarama fechará totalmente o comércio

A partir desta quinta-feira (25), apenas atividades extremamente essenciais poderão funcionar, como farmácias e supermercados, e ainda com restrições

Diante do aumento das mortes em decorrência da Covid-19, o crescimento dos casos positivos e o esgotamento de leitos e insumos para o tratamento dos infectados, a administração municipal pretende adotar medidas mais restritivas para reduzir a circulação de pessoas, fortalecer o isolamento social e frear a transmissão do coronavírus. Mais cinco pessoas morreram entre domingo e segunda-feira (agora são 115 óbitos) e os hospitais continuam lotados por pacientes com quadro grave da doença.

As medidas serão anunciadas por decreto com duração de quinta-feira, 25, até a segunda-feira, 29. Está previsto o fechamento total do comércio, das indústrias e prestação de serviços, bem como a suspensão das atividades da construção civil. Apenas atividades extremamente essenciais poderão funcionar, como farmácias e supermercados, com restrições. Os mercados deverão atender apenas por delivery (entrega de mercadorias adquiridas por site, telefone ou outro sistema não presencial) e com horários reduzidos.

“Precisamos tirar a população das ruas. Só assim poderemos conter a transmissão do vírus e, em alguns dias, dar um respiro aos hospitais”, disse o prefeito Celso Pozzobom. Os detalhes estão sendo definidos pela Secretaria da Procuradoria-Geral da Prefeitura, com base em informações do Centro de Operações de Enfrentamento à Covid-19 (COE Municipal).

As medidas têm o apoio do Ministério Público do Paraná, autoridades eclesiásticas, Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Umuarama (Aciu), 12ª Regional de Saúde e secretarias municipal e de Estado da Saúde, além da sociedade médica e dos hospitais. “Precisamos reforçar o enfrentando à pandemia. Muitas pessoas ainda não se atentaram para a importância das medidas preventivas, por isso precisamos adotar ações mais restritivas”, afirmou. “Contamos com a compreensão da população e o apoio daqueles que se preocupam com a saúde e com as vidas que queremos preservar”, apelou.

O prefeito assegurou que as medidas serão amplamente divulgadas para evitar correrias e não gerar aglomerações. “As medidas mais efetivas que temos hoje são o isolamento (sair de casa só em caso de real necessidade) e a vacinação, que começa a ganhar volume. Devemos adiar as reuniões familiares para quando a situação estiver mais tranquila. Sem o apoio da população, a gravidade só tende a aumentar”, reforçou.

A secretária municipal de Saúde, Cecília Cividini, lembra que Umuarama conta 115 mortes causadas pela Covid-19 e o número deve aumentar. “Pessoas jovens estão morrendo. Nesta segunda foram três mortes de pacientes abaixo dos 60 anos e temos vários jovens internados, alguns intubados em estado crítico”, lamentou.

Umuarama soma 8.619 pessoas com diagnóstico positivo para a doença, das quais 5.556 se recuperaram. “O problema é que temos quase 3 mil casos ativos, com 2.913 em isolamento domiciliar e 54 internadas; 22 pacientes estão em UTIs e temos ainda 1.858 pessoas com suspeita de infecção pelo coronavírus, cujos sintomas podem se agravar e a pessoa necessitar de leitos hospitalares”, encerrou Cecília.

Fonte: Assessoria

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.