Após defender lockdown, médico é agredido com chutes e socos

Segundo o infectologista José Eduardo Panini, ele foi agredido após alertar sobre os riscos em momento crítico pandemia no Paraná

Na última sexta-feira (26), o infectologista José Eduardo Panini, em suas redes sociais, informou ter sido agredido por conhecidos após alertar sobre os riscos do estágio crítico da Covid-19 no Brasil. Segundo relatos do médico, ele foi agredido com chutes e socos.

Em seu perfil nas redes sociais, José Eduardo afirmou que tudo ocorreu pouco depois de uma reunião que visava decidir o que seria fechado no Paraná, levando em conta decreto que prevê a suspensão de atividades não essenciais.

“Ao alertar os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia. Enfim pessoas assim que ajudaram situação chegar onde está!”, publicou o infectologista.

O médico também informou que, apesar da agressão, não desanima de combater a pandemia.

“O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, concluiu.

O conteúdo continua após o anúncio

O decreto

Em decreto, o estado do Paraná havia anunciado, também na sexta, que realizaria o fechamento dos serviços não essenciais até o dia 8 de março. Ainda, destacou que a circulação de pessoas em espaços públicos estaria proibida entre 20h e 5h. Decisão se deu devido ao aumento de casos Covid-19 e da alta ocupação de leitos da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da rede pública do estado.

DeFato

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.