Pará promete leitos para pacientes vindos do Amazonas; Piauí envia EPIs

Por: Aliny Gama – Colaboração para o UOL, em Recife -15/01/2021 01h31

O governo do Pará informou que o estado está pronto para receber 30 pacientes acometidos pela covid-19 no Amazonas, que necessitam de internação hospitalar. O anúncio ocorreu na noite de ontem (14). O Ceará também se colocou à disposição para ajudar o Amazonas. O Piauí enviou 45 mil EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e 30 mil testes de detecção do novo coronavírus para o Amazonas, na tarde de ontem.

Os auxílios dos estados tentam diminuir o colapso que o sistema de saúde do Amazonas enfrenta com a alta demanda de doentes. Ontem, pacientes de covid-19 ficaram sem oxigênio em unidades de saúde em Manaus.

Os estados de Goiás, Espírito Santo, Piauí, Maranhão, Paraíba, Rio Grande do Norte e o Distrito Federal informaram que vão receber pacientes do Amazonas, que estão em tratamento hospitalar, que dependem de oxigênio.

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse que entrou em “contato com o governador Wilson Lima, do Amazonas, oferecendo 30 leitos em Belém a pacientes em tratamento da covid-19. Toda minha solidariedade aos irmãos amazonenses neste momento difícil”, disse.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que entrou em contato com o governo do Amazonas para informar que o estado ajudará os amazonenses.

“Liguei para o governador do Amazonas, Wilson Lima, colocando o Ceará à disposição para ajudar naquilo que estiver ao nosso alcance diante da grave crise enfrentada em Manaus, inclusive quanto à questão da falta de oxigênio para atender a pacientes com covid-19 em estado grave”, informou Santana.

O governo do Piauí enviou, na tarde de hoje, 45 mil EPIs para profissionais de saúde e 30 mil testes rápidos para ajudar o Amazonas. A cessão foi feita por meio de um acordo de cooperação entre os estados neste momento de pandemia.

Dentre os EPIs cedidos pelo Piauí para o Amazonas estão: 10 mil aventais impermeáveis manga longa; 15 mil protetores faciais; 10 mil máscaras modelo N95 e 10 mil máscaras triplas descartáveis. O material seguiu de avião de Teresina para Manaus.

O secretário de Estado da Saúde do Piauí, Florentino Neto, afirmou que o Piauí “está sensível à situação dos nossos irmãos amazonenses” e decidiu ceder o material para ajudar o Amazonas. “Dentro desse espírito fraternal, estamos colaborando com a cessão de Equipamentos de Proteção Individual e testes rápidos para covid-19 para amenizar o sofrimento deles”, destacou.

Em uma live hoje nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, admitiu o colapso no sistema de saúde do Amazonas e afirmou que amanhã seis aeronaves estarão levando oxigênio para Manaus. A alta demanda de pacientes com covid-19 que necessitam de auxílio de oxigênio levou a falta do produto nas unidades de saúde.

“Há um colapso no atendimento de saúde em Manaus. A fila para leitos cresce bastante, já estamos com 480 pessoas nesta fila. A responsabilidade pela ação contínua da prefeitura, do senhor prefeito, e do governador do Estado, da secretaria de estado. Nós estamos apoiando em todos os aspectos”, informou o ministro da saúde.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, o Amazonas está vivendo um caos no sistema de saúde, com hospitais superlotados e falta de oxigênio. Devem ser transferidos 235 pacientes para os seis estados e o Distrito Federal, que se disponibilizaram a receber os doentes.

Trinta pacientes do Amazonas serão levados ao Piauí em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira), na manhã de hoje, para receber o tratamento médico adequado. O voo estava previsto para 19h de ontem, mas foi adiado para às 1h desta madrugada. Entretanto, o Ministério da Saúde informou que os pacientes só serão transferidos de Manaus para Teresina nesta manhã. O adiamento ocorreu porque não há oxigênio suficiente para o transporte dos doentes.

Os pacientes do Amazonas ficarão internados no HU (Hospital Universitário) da UFPI (Universidade Federal do Piauí), em Teresina. A Fundação Municipal de Saúde informou que o HU disponibilizou 30 leitos de enfermaria para os doentes transferidos de Manaus e também preparou 20 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), caso haja necessidade de atendimento intensivo para os pacientes do Amazonas.

Profissionais do hospital chegaram a se manifestar divulgando que não há EPIs suficientes para atender a nova demanda de pacientes com a chegada dos amazonenses. Eles temem que a chegada de novos pacientes acarrete em problemas de contaminação de profissionais que são do grupo de risco e voltaram para o trabalho depois que os índices diminuíram no Piauí. A FMS informou que não haverá falta de EPIs e insumos, pois hoje realizou novas compras.

De acordo com a Sesapi (Secretaria de Estado da Saúde do Piauí), Teresina tem 267 leitos clínicos disponíveis para pacientes com covid-19 e a ocupação desta quinta-feira (14) é de 56,9%. Já os leitos UTI, existem 181 disponíveis e ocupação de 50%.

Mais vacina.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), presidente do Consórcio Nordeste, disse que o grupo de governadores deverá comprar 50 milhões de doses da vacina Sputnik V, imunizante russo contra o novo coronavírus. A informação foi divulgada após reunião entre Dias e representantes da embaixada da Rússia no Brasil e da farmacêutica União Química, produtora da Sputnik.

O governador afirmou que a União Química deve pedir à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a liberação do uso da vacina ainda esta semana. Dias ressaltou ainda que a União Química e o Fundo Russo de Investimento estimam entregar 10 milhões de doses da vacina no Brasil até o mês de março.

“A Sputnik V foi aprovada por órgãos reguladores e está sendo usada em vários países. A União Química tem autorização para produção dessa vacina no Brasil. Por meio do Consórcio Nordeste, vamos solicitar doses prontas para esse uso. Já temos um documento com apoio de todos os governadores para reserva dessas doses”, destacou o governador do Piauí.

Share this:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.